Cosplayer cinderys_art no Instagram


 Em 2018, a cosplayer Riolusaura relatou uma situação durante um evento onde estava vestida da personagem Cinder Fall da animação RWBY e foi acertada por trás por uma espada de mentira. Pega no susto, percebeu que era um dos membros do evento "atacando" a vilã. Não houve aviso e nem era uma pessoa que conhecia, apenas foi acertada por uma réplica de madeira por estar vestida como uma certa personagem, mesmo que naquele momento estivesse numa situação casual. 
Algo semelhante aconteceu quando, ao estar vestida de Juvia (Fairy Tail), passou a ser ignorada por outra participante do evento quando relatou que não gostava tanto do personagem Gray pelo qual Juvia morre de amores. 

"Foi uma situação estranha e tudo porque, por um momento, eu saí do meu personagem", comentou a cosplayer. 

Situações como essa nos fazem refletir sobre onde estão as divisas entre o personagem que estamos fazendo cosplay e a pessoa que está por baixo da roupa. 
O caso mais comum é quando fazemos aquela pausa para comer, porque ninguém é de ferro. 
Talvez você que esteja lendo já tenha passado pela situação de perceber alguém tirando uma foto sua enquanto abocanha aquele hambúrguer ou toma seu Mupy, muitas vezes até com pedaços do cosplay desmontados.
Tem vezes que nem é na maciota, mas parece que a pessoa espera você sentar pra te pedir a foto, né? De vez em quando fazemos um esforço, mas também precisamos definir quando estamos em pausa. 

Como dito pelo Kieran:
"O único momento que se deve tirar fotos de um cosplayer comendo é quando foi planejado com antecedência."

 cosplayer @s.kieran_photos no Instagram 

Então tá tudo bem eu recusar uma foto? 

Ver as pessoas ao seu redor performando e personificando o personagem te dá a sensação que eles fazem isso durante o evento inteiro e que você também precisa fazer. Ficar disponível pra fotos, fazer aquela citação do seu personagem, interagir com outros cosplayers da mesma série.... O grande porém é que a todo momento vai ter alguém perto de você dentro do personagem. Se depender de todos os cosplayers fazerem uma pausa pra você conseguir relaxar, sinto dizer que não vai acontecer tão cedo... 

Participantes comuns do evento nem sempre processam que você não está lá a trabalho. É legal que pessoas tirem nossas fotos de cosplay? Sim! Mas respeite seu tempo e suas pausas. 
Você é um visitante! 

Se o seu medo e receio for de pessoas ficarem bravas pela recusa, te garanto que a resposta geralmente é mais positiva do que parece. Quando usei minha Mei (Overwatch) na CCXP, tinha que fazer uma ou duas pausas durante as 8h do evento para poder descansar as pernas por conta do peso do tanque. Não foi uma única vez que me pediram fotos durante minha pausa porque, querendo ou não, um tanque luminoso continua chamando a atenção mesmo que você tente se esconder. 
Eu deixava, desde que a pessoa não se importasse que eu continuasse sentada e desse meu tempo pra poder vestir as luvas. No começo pensei que teria uma repercussão negativa, mas todas as vezes recebi risadas e alguns "Nossa, eu imagino, isso parece muito pesado" ou "Não sei como vocês cosplayers aguentam ficar tanto tempo assim!" ou "Tadinha, deve estar exausta mesmo né". 
Por isso, não tenham medo. Não tem motivo pra ninguém ficar bravo com você! 
Nunca esqueça que você é um visitante. O evento também tá lá pra você curtir do jeito que quiser. 


E a interação com as pessoas? 

Diferente das fotos, a parte da personificação é um pouco mais difícil de lidar durante o evento, pois muitos visitantes acreditam que, assim como na Disney, podem interagir com todos os cosplayers como se eles realmente fossem uma atração. Não é raro termos relatos de cosplayers tendo pedaços de acessórios quebrados durante o evento por visitantes que pularam em cima, não tiveram cuidado ou até mesmo seguranças na hora da vistoria. 

Isso faz com que cada vez mais cosplayers deixem seus projetos mais elaborados apenas para ensaios particulares, não somente pelas fotos, mas por saberem que ir para um evento com certos personagens pode significar uma grande chance de ter partes danificadas. 

Salvo por algumas crianças que realmente acreditam que você é o personagem, é obrigação das pessoas saberem que:
.  Você é um visitante assim como eles e pode usufruir do evento como quiser. O cosplay não deve te restringir.  
. Existe uma pessoa normal por baixo de toda a nossa produção. Uma pessoa que se cansa, fica com sede e com fome. 
. Estar montado com um certo personagem não dá permissão para ninguém que conhece a série mexer assumir que pode mexer com você.

Infelizmente sabemos que isso ainda não está enraizado, senão casos como os de Riolusaura sendo acertada por um visitante não seriam tão comuns. Inclusive, existem cosplayers que realmente evitam consumar projetos de certos personagens por medo da repercussão no evento, afinal, nem sempre estamos acompanhados de amigos. 

"Eu ainda tenho meus receios de fazer o Akechi (Persona), porque tem uma parcela GRANDE de gente que odeia ele e isso me preocupa. Cansei de ver minhas amigas gringas passarem nervoso porque alguém foi ofender elas no meio do evento por estarem fazendo o Akechi." (Yuui Nowill) 

Mesmo quando estamos com amigos, isso nem sempre é o suficiente. Embora mais pontual, quem acompanha o mundo cosplay há alguns anos provavelmente se lembra do caso onde um empregado do programa Pânico na TV lambeu o braço da cosplayer que estava de Estelar durante a CCXP durante uma entrevista sem sequer perguntar se eles desejavam participar ou serem gravados. 


Um grande exemplo de uma interação boa é o cosplayer D-Piddy, conhecido por seu cosplay de Deadpool e seus vídeos interagindo em convenções com outros personagens. É possível ver em qualquer um deles que as gravações tem consentimento dos participantes e muitas vezes são esquematizadas previamente. 


 
Campanha Cosplay is Not Consent | Foto por Geeks of Color 


Por fim, COSPLAY NÃO É CONSENTIMENTO
Há anos, muitas campanhas tem se mobilizado para tentar diminuir as investidas de visitantes contra os cosplayers, seja no âmbito de acabar destruindo partes, abusando sexualmente ou simplesmente tendo posturas que seriam inaceitáveis com pessoas comuns. Em um primeiro momento "Cosplay is not Consent" parece se voltar principalmente para mulheres uma vez que não é de hoje que pessoas acreditam que as roupas curtas são brechas para chamar atenção ou chamariz, mas na verdade ele abraça todos os cosplayers. 

Claro que as vezes estamos cansados e é mais fácil tirar a foto logo e seguir e vida, mas quando puder, não deixe passar em branco, já que a única forma de criar o respeito é se manifestando quando alguém age de forma errada. 
E não somente com você, se vir um cosplayer sendo abordado de forma desrespeitosa, não finja que não viu. 
Nunca se esqueça que independente do que você estiver vestido, o evento também é seu e você merece tanto respeito quanto qualquer outro visitante que não esteja de cosplay!


matéria por Hayde