Entrevista com a Cosplayer Júlia Crasoves Juka


Entrevista realizada por Alex Shinobi

1. Seu nome, idade e o que faz da vida.
Me chamo Júlia Crasoves (ou Juka, como todos me chamam), tenho 21 anos e sou estudante de Jornalismo e Cosplayer.

2. De qual personagem faz Cosplay atualmente?
O meu último Cosplay foi de Mai Shiranui do jogo The King of Fighters Maximum Impact 2, mas esse ano fiz vários outros cosplays como Priscilla de Claymore, Rei Miyamoto e Shizuka Marikawa de Highschool of The Dead e reutilizei o de Mami Tomoe de Madoka Magica.

3. Porque escolheu este personagem e quanto tempo levou para fazer?
Escolhi a Mai por vários motivos. Desde pirralhinha eu jogava KOF nas Arcades dos Fliperamas (apesar de ser desajeitada XD), e sempre selecionava a Mai Shiranui. Sim, ela é apelona, ótima de jogar, hahaha! Além disso, a acho muito bonita e ela tem algo que considero muito importante para a escolha de um cosplay: é parecida fisicamente comigo no quesito "comissão de frente", se é que me entende.

4. Aconteceu algo inusitado enquanto fazia/desfilava/experimentava o Cosplay?
Bom, com esse Cosplay, graças a Deus, até agora nada. Mas com o meu de Lien Neville (também de KOF), eu tive alguns probleminhas... Rasgou duas vezes por ser feito de Vinil, sendo uma delas no bumbum, hahaha!

5. Como os Cosplays entraram na sua vida e de onde surgiu a idéia de ir aos eventos, qual foi seu primeiro evento e desde quando freqüenta?
Quando eu descobri a internet, ou seja, há muitos milênios atrás, eu fui logo procurar por coisinhas de anime. Foi quando eu dei de cara com o que era um cosplay e fiquei encantada! Descobri também que havia muitos eventos aqui no Brasil (na verdade só havia em São Paulo na época, mas logo em 2002 o primeiro evento gaúcho surgiu também), e já me empolguei para fazer meu primeiro Cosplay. Em 2004 fui ao meu primeiro evento da AFAR aqui no Rio Grande do Sul e no ano seguinte estreei o "Cos" de Misao Makimachi de Rurouni Kenshin no AnimaWeekend de Florianópolis. Bom, sou velha de guerra até, são quase dez anos no meio Cosplay/eventos.

6. Quais Cosplays você já fez, qual é o seu favorito e qual foi o mais difícil?
Em ordem:
Misao Makimachi – Rurouni Kenshin/Samurai X
Mizuho Kazami – Onegai Teacher
Itachi Uchiha (versão Oiroke no Jutsu) – Naruto
Bou (versão clipe Tekesuta Kousen) - banda AnCafe
Matsumoto Rangiku – Bleach
Androide nº 18 – Dragon Ball Z
Kagura – Azumanga Daioh
Cassandra Alexandra (versão costume 2) – Soul Calibur III
Nishino Tsukasa – Ichigo 100%
Genkai jovem – Yuu Yuu Hakushou
Lien Neville (versão original) – The King of Fighters Maximum Impact 2
Lien Neville (versão Another/Color F) – The King of Fighters Maximum Impact 2
Nobara Ugajin - Galism
Euphemia Li Britannia – Code Geass
Velma Dinkley – Scooby Doo
Shina de Cobra – Saint Seiya/Cavaleiros do Zodíaco
Power Girl/Poderosa – DC Comics
Klan Klan – Macross Frontier
Mami Tomoe – Mahou Shoujo Madoka Magica
Ramona Flowers – Scott Pilgrim
Cutie Honey – Cutie Honey The Live
Rei Miyamoto – Highschool of The Dead
Priscilla - Claymore
Mai Shiranui - The King of Fighters Maximum Impact 2

Meu Cosplay favorito foi o de Velma, porque usei no inverno e foi super confortável! Além disso, chamou muito a atenção das crianças e ver o brilho nos olhinhos delas quando me viam, falavam comigo e pediam para tirar fotos foi sem explicação, maravilhoso! Sem contar que pude fazer minha primeira dupla Cosplay com o meu amor, tiramos fotos super ultra divertidas! Agora, o que mais me deu trabalho foi o de Priscilla. Meu Deus, era peça que não acabava nunca! Muitas coisinhas para encaixar umas nas outras e na armadura, mas, felizmente, o resultado foi gratificante. Mas nunca vou esquecer o trabalho que eu tive com o Cosplay de Cassandra. Se eu fosse refazê-lo, faria diferente e teria poupado tempo, apesar de não ter sido mais complicado do que o de Claymore.


7. fale o nome de um Cosplayer brasileiro que você admire seu trabalho.
Só pode ser um? Eu queria citar vários nomes de pessoas que eu vejo cada dia suando e dando duro por um cosplay perfeito, mas se é para escolher só uma pessoa, seria o Higor Pascoal. Não é por ser meu namorado, mas nunca vi um ser humano tão dedicado na minha vida! Ele consegue criar e moldar coisas quase impossíveis ao meu ver, isso tudo numa facilidade incrível! E ainda usa o cosplay com confiança. Grande cosplayer, ótimo cosmaker. E não é à toa, já levou o título do Circuito Gaúcho de Cosplay e vários primeiros lugares também.

8. Fale sua opinião sobre os eventos de Anime.
Olha, adoro eventos de anime, mas ultimamente os que tenho frequentado (e não é só em meu Estado isso) tem decaído muito na qualidade. Valores exorbitantes nos ingressos, lugares apertados para um público grande, locais desconfortáveis para os cosplayers e sempre as mesmas atrações. Se mudassem esses fatores, com certeza teriam o meu respeito novamente. Isso é algo que tem feito eu pensar duas vezes em marcar presença nas convenções.


9. Como vê esses eventos e o movimento Cosplay daqui a 10 anos ?
Do jeito que anda, vejo mais dinheiro na mão dos organizadores e mais Otakus pobres, hahaha! Não é por mal, mas como esse tipo de coisa tem crescido em público e se tornado algo mais popular, não terá mais lugar para colocar tanta gente. Talvez melhorem na qualidade e nos recursos para os Otakus e Cosplayers, atrações mais interessantes surgirão com certeza, mas o problema, ao meu ver, será os locais.

10. Deixe uma mensagem para quem está começando ou quer fazer Cosplay.
Se tem algo que eu aprendi esse ano é que nunca deve-se desistir dos seus ideais e deixar sua personalidade e essência sumirem. Parece clichê, eu sei, mas alguma hora alguém entrará em conflito interno por algo super insignificante ou talvez será desvalorizado e magoado por alguém importante. Passei por algo assim, mas isso foi só um motivo para eu crescer mais. Então, Cosplayer iniciante, não ligue para o que os outros digam, se gosta do personagem e se sente confiante disso, não importa o que os outros pensam. Você irá, com certeza, brilhar até mais se tiver força. Se gosta de "Cosplayar", parabéns, você entrou num mundo mágico sem passagem de volta, hahaha!