Como começar seus serviços de Cosmaker


Por Black Fang 

Ora ora, então parece que você descobriu suas habilidades artísticas não é? Sem dúvidas elas vão ser úteis para os seus cosplays mas... e se você transformasse isso num serviço? Sim, começar seu trabalho como um cosmaker!
- Mas o que é um Cosmaker? Aquele cara que faz roupas e armas?
É, quase isso. Na verdade existem inúmeros tipos de serviços que um Cosmaker pode fazer como: roupas, props (armas, armaduras e acessórios), sapatos, estilização de perucas, fursuit e por ai vai. Uma pessoa pode ser tanto um Cosmaker multifuncional que trabalha com mais de um tipo de produção quanto ter um enfoque específico.- Ok, eu sei fazer algo que pode servir para ser um Cosmaker. Já posso pegar encomendas? Calma lá. Primeiro temos que resolver alguns por menores, então se acomode na cadeira e pegue seu bloco de notas!

1. Preços - Quanto vale o seu trabalho?
Atualmente uma das coisas que mais se vê em grupos de Cosplay é o "sem preços abusivos" e SEMPRE vai ter gente que se baseia em preço de produto importados (que são produzidos em larga escala e logo tem um preço de venda menor) com o seu trabalho artesanal que se limita aquela peça que o cliente pediu sob medida, então meu conselho é que você ignore esse tipo de pessoa. É claro que preço nem sempre é sinônimo de qualidade, então principalmente quando estiver começando e não tem um portfólio é mais vantajoso não jogar o preço nas alturas já que a pessoa não vai ter muita base no que se orientar em questão a qualidade dos seus serviços, mas também não jogue muito pra baixo ao ponto de não ter lucro. As vezes suas horas perdidas valem mais do que a reclamação de preços abusivos que alguém fará.

2. Prazos - Quanto serviço você pode pegar?
Esse é o maior problema que tenho visto ultimamente no mundo Cosplay. Claro que dinheiro a mais na conta é sempre bem vindo, mas tome MUITO cuidado pra não se queimar a toa, por que um feedback negativo geralmente ganha muito mais destaque do que dez positivos e aos poucos vão criando a má fama do Cosmaker mesmo que ele tenha um trabalho impecável.
Programe-se com antecedência, principalmente antes dos grandes eventos onde a procura é maior. Um caderno? Uma planilha? Faça o que achar melhor para você, mas evite ao máximo se sobrecarregar de serviços visando o lucro e acabar perdendo pessoas que poderiam se tornar clientes de confiança.
Mas isso não significa que você tenha que ficar a mercê deles, viu? As vezes você vai se sentir mal por não poder pegar aquela encomenda de alguém desesperado uma semana antes do maior evento do ano, mas isso acontece sim! Ao mesmo tempo que o cosmaker tem que se programar com antecedência o cosplayer também.
Talvez você consiga se adiantar e terminar tudo antes, ai não faz mal abrir mais algum espaço pra encomendas, mas isso fica a seu critério. Nunca se sinta na obrigação de ter que pegar mais trabalho por ter tempo livre.

3. Termos de serviço - Calotes e outros perrengues
Em qualquer área do comércio existem os bons clientes e aqueles que vão tentar te passar a perna. No mundo cosplay isso não é nem um pouco diferente, por isso monte uma espécie de contrato ou termos de serviço. Não precisa ser efetivamente um papel que a pessoa vá assinar com você no cartório mas que ela leia e esteja de acordo, ai em caso de problemas (até mesmo judiciais) você tem uma prova de que ela tinha concordado com o que foi feito. Eu tenho uma foto no álbum dos meus trabalhos que eu sempre envio ao cliente antes de fechar o negócio. Na descrição dela estão todos os meus termos de orçamento, pagamento, entrega, devolução e como proceder em questão de problemas
Não estipular esses termos muitas vezes pode resultar num feedback negativo onde você não terá como se defender e aos veteranos no Cosplay sabem que gente que se faz de coitada pra conseguir o dinheiro de volta são, infelizmente, bem frequentes. 

4. Portfólio - Como divulgar? Uso meu perfil ou crio uma página? 
O Facebook tem sido a maior rede social para divulgar projetos, mas fica totalmente a seu critério se vai usar seu próprio perfil ou usará uma página pra postar seus trabalhos finalizados e afins. Pessoalmente eu uso meu perfil pessoal já que mexo com perucas, mas geralmente quem mexe com armas/armaduras gosta de postar o andamento periodicamente então optam por uma página para evitar o flood.
Se você é um Cosmaker multifuncional é bom dividir seus álbuns por tipos de coisas que você faz (ex.: um para roupas, outro para armaduras, outro para calçados...) para que a pessoa saiba onde procurar, mas isso é só um conselho mesmo.

5. Tutoriais - Um mágico do Cosplay revela seus segredos? 
Novamente isso é algo que fica a critério de cada Cosmaker e tem seus altos e baixos.
O ponto positivo é que os tutoriais tem sido a maior ajuda para os que querem se aprimorar ou começar a ter uma certa independência no mundo Cosplay e são sempre muito bem vindos, além de muitas vezes atingirem um público que não é exatamente o dos seus clientes gerando uma baixa insignificante dependendo do seu serviço já que para armas e armaduras por exemplo, a maior parte das pessoas encomenda por não ter um lugar propício para sequer tentar fazer por si só. O ponto negativo é que  de um jeito ou de outro você pode ter uma certa diminuição do número de pessoas requisitando seu trabalho se isso atingir o seu grupo de clientes próximos, principalmente se novos Cosmakers começarem a surgir numa área menos requisitada, então depende muito do seu segmento.
Bem, acho que as dúvidas mais frequentes foram tiradas, então você deve ter uma noção básica de como começar seus serviços sem nenhuma dor de cabeça!
Uma boa sorte a todos e que os clientes apareçam para nós C: