O Cosplay em tempos de crise


O Cosplayer, a crise no Brasil e a alta do Dólar, como fazer uma fantasia de qualidade em tempos de crise?

Por Alex Shinobi

Realmente as coisas não estão fáceis nesse ano de 2015, enquanto muitos políticos  falam que não existe uma crise, o que vemos nos mercados e  lojas é outra coisa, se antes tínhamos uma pequena mais segura estabilidade, esse ano não, os preços dos produtos sobem mais rápido do que foguete de São João.

E a alta do Dólar? Também não existe? Segundo o governo o dólar está estabilizado., só se for para eles pois hoje o Dólar está a R$ 3,31, isso acabou afastando muitos compradores do Ali Express e de sites internacionais de Cosplay, muita gente que trabalhava fazendo revenda de produtos Cosplay, ou parou de vender ou está tendo prejuízo esse ano com suas vendas por causa do dólar, é parece que o sonho acabou, tínhamos uma moeda estável, Tínhamos, por que se você vai hoje ao supermercado para comprar pão e gasta uma média de R$ 28,00 reais com nada, num país onde o salário mínimo é  R$700,00 e a média salarial é R$ 1.000,00 como você vive? Se a cada ida no mercado para comprar qualquer coisa você gasta R$ 30,00, basicamente vivemos para pagar contas e comer, se divertir? Esquece!


A grande saída para quem quer fazer um Cosplay de qualidade é recorrer aos Cosmakers nacionais que mesmo em tempos de crise, tem um valor mais acessível do que os sites internacionais, já que muitos confeccionam com matéria prima nacional.

Na semana passada entrevistei Loki Cosmaker, que é do Rio de Janeiro, e trabalha há anos confeccionando fantasias e tem um preço bem mais acessível do que o de muitos sites internacionais e lojas cosplay do exterior, a alta do dólar não afetou a produção deles, diferente dos importados e um grande problema além desse fator monetário é que os Correios agora estão taxando produtos internacionais, se já não bastasse toda essa palhaçada do governo, agora somos obrigados a pagar mais taxas em cima dos produtos importados, além de ficar igual uns tontos rastreando um produto que saiu da China, foi pro Paraná e depois foi pra sei lá onde, antes de chegar nos Correios de nossa cidade, realmente isso é uma vergonha!